terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Há um lugar no inferno reservado para as pessoas que surripiam guarda-chuvas alheios

É verdade, a chuva parece ter vindo para ficar, para mal dos meus pecados. Não gosto nada de chuva, de andar sempre com o chuço pendurado, de ficar com o cabeço frisado todos os dias independentemente da quantidade de óleo/creme que lhe meta em cima, de ter de limpar os óculos sempre que saio à rua, e de molhar os pés (ou as pernas, quando a água, em vez de entrar pela sola descolada, entra pelo cano da boa e escorre pela perna toda...). Eu cá prefiro frio o chuva. Apesar de também não ser nada agradável andar em modo cubo-de-gelo, mais uma ou duas peças de roupa e coisa remedeia-se. Pés molhados não.

Quando chove, não é apenas o céu que fica cinzento: é tudo. As ruas, os jardins, as pessoas ficam sem cor. A falta de luz do sol (e de vitamina D) faz crescer dentro de nós uma tristeza inexplicável e adormecedora.

Mas pior que tudo isso, são aquelas pessoas que surripiam os guarda-chuvas dos outros. Hoje fui a um café numa pausa de trabalho, e deixei ficar o meu chuço no baldinho para o efeito à porta do estabelecimento. Estive lá nem uns dez minutos. Quando ia a sair quase fiquei cega. Um imbecil qualquer (ou uma imbecil, não sei), levou o meu guarda-chuva e deixou ficar um muito parecido... e em considerável pior estado. E não, não acredito que a pessoa tenha trocado os chuços por serem parecidos, porque só de olhar percebi que o que tinha ficado não era o meu - que era bom, que não tinha as varetas amolgadas e cheias de ferrugem, que não vergou durante dois anos à ventania de Braga, e que era o único que tinha.

Acredito piamente que há um lugar no inferno reservado para as pessoas que surripiam guarda-chuvas alheios (ou pelo menos, é um pensamento que me dá algum alento nesta hora).

7 comentários:

  1. r: Oh, fico feliz por ti! Por aqui também correu bem :)

    ResponderEliminar
  2. E é por isso que o meu me acompanha até às mesas dos cafés!

    ResponderEliminar
  3. Ora pois, compreendo perfeitamente o que dizes sobre a ventania de Braga! :D

    ResponderEliminar
  4. O frio é preferível à chuva, sem dúvida. Realmente tudo fica tão triste quando chove... Já o sol dá logo outro ânimo a uma pessoa, mesmo que esteja um frio descomunal :P
    Nunca me aconteceu roubarem-me o guarda-chuva...mas já me aconteceu (mais que uma vez este ano) quase me ter esquecido dele xD Eu antes usava daqueles pequeninos que cabem dentro das malas/mochilas...mas há pouco tempo comprei dos grandes, porque protegem mais da chuva... O problema é que são uma seca para transportar, e eu, como não estava habituada a levar um guarda-chuva na mão, muitas das vezes quase me esqueci dele xD

    ResponderEliminar
  5. Era bem feita que funcionasse como para-raios e na próxima trovoada o/a deixasse carbonizado/a. ahahah
    E agora é tão difícil encontrar um guarda-chuva bom. É tudo feito na China, com varetas de aço banana que não aguentam uma brisa... :/

    ResponderEliminar
  6. Há com cada pessoa sem valores morais por aí que até mete medo.
    E além dessa pessoa já ter o lugar reservado no inferno também tem o karma à porta.

    ResponderEliminar

Sê bem vindo!! Achaste este post tão maravilhoso como a sua autora? Ou tão alucinado da mona? Sente-te à vontade para deixar o teu contributo. Responderei assim que possível. Obrigada pela visita e volta sempre =)