sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Harry Potter Studios - Where the magic happens

Faz hoje precisamente um ano que eu e o Moço, de férias por Terras de Sua Majestade, empreendemos a fantástica e memorável viagem de nos aventurarmos nos estúdios The Making of Harry Potter, da Warner Brothers. Por isso, em forma de comemoração, e 19523 crucios pela rede depois, aqui fica a reportagem fotográfica mais ou menos oficial ^^

A demanda começou... com a compra dos bilhetes. Com antecedência, claro, e online. A nossa ideia inicial era ir no dia no nosso aniversário que, no ano passado, calhou num domingo. Ora, sextas-feiras e fins de semana são dias péssimos para se escolher, visto que os bilhetes esgotam como pão quente. Escolhemos, então, um dos outros dias que tínhamos reservado para as nossas benditas férias e esquematizamos o itinerário para todo o dia.


Uma vez que a visita estava marcada para a tarde, aproveitámos para passar por King's Cross ainda durante a manhã, para tirarmos fotos na famosa Plataforma 9 e 3/4, assim como para ver a loja oficial que aí se localiza. Tinha ficado a dica de irmos primeiro a uma das lojas (a de King's Cross ou a dos estúdios) para nos depararmos com os produtos (e os preços) antes da tour pois, se o fizemos ao contrário, sentiríamos aquele ímpeto doido de comprar tudo e mais alguma coisa, e ficar sem galeões para o resto da vida das férias.

Depois do almoço e de umas maravilhosas cookies, apanhamos o metro para o local mais próximo dos estúdios, numa viagem de mais de uma hora mas, felizmente, à superfície. Aí, parámos para beber um café dos bons (wow!!) num "mini café" estilo quiosque dos nossos. O senhor indiano que lá estava foi super simpático, e que adivinhou para onde íamos (talvez por causa da minha t-shirt, mas não confirmo nem desminto... =P), indicou-nos o local exacto onde poderíamos apanhar o autocarro específico que faz o percurso entre aquela paragem de metro e os estúdios. No caminho, em forma de entretenimento, passou um pequeno vídeo narrado por Mr. Arthur Weasley (conhecido por Mark Williams entre os muggles) sobre os estúdios.



Mas nem pensem que tal vídeo chegou para percebermos a verdadeira dimensão da coisa. Oh não. À entrada, validamos os nossos "pré-bilhetes" e começamos logo a tirar fotos com as peças gigantescas de xadrez de feiticeiro que aí se encontram. Depois de entrarmos (e da revista), mais fotografias na entrada. Tudo lá grita magia e ainda só tínhamos passado as portas principais. Apesar de termos chegado com certa de 45 minutos de antecedência em relação à nossa tour, tentamos entrar mais cedo e ninguém pôs qualquer problema. Minutos que, posteriormente, percebemos ter sido preciosos, muito preciosos!

Num primeiro momento, entramos para uma sala onde estão expostos os posters dos vários filmes em vários países. Um senhor fez uma pequena apresentação da tour e, seguidamente, fomos para uma segunda sala, ao estilo cinema, onde passaram um pequeno filme com um apanhado de toda a saga. Se ainda não leram todos os livros e viram todos os filmes, a viagem pelos estúdios terá 284 spoilers por metro quadrado, assim como este post. Prossigam por vossa conta e risco =)





Quando a tela em que tinha sido mostrado o filme subiu... WOW!! Estávamos em frente às portas do Salão Nobre de Hogwarts, onde alunos e professores fazem as suas refeições! A rapariga que nos estava a acompanhar nesse momento perguntou se alguém fazia anos e "só não fui eu" porque não fui demasiado rápida... mas para a próxima não me apanham desprevenida! O aniversariante teve o privilégio de abrir as portas e marcar o início oficial da tour. Entramos no salão e a nossa guia contou pequenas curiosidades enquanto nos apresentava o que a divisão continha e ainda como é, de uma forma geral, a experiências nos estúdios. A partir daquela sala, ficaríamos por nossa conta. Sabiam que logo no primeiro dia de filmagens, as mesas que serviam para as refeições dos alunos, ficaram povoadas de marcas e arranhos? Confrontada com tal fenómeno, J.K. Rowling terá dito que não havia qualquer necessidade em trocar as mesas, até porque, uma escola fundada há cerca de mil anos que alojara milhares de alunos, nunca poderia ter imaculadas.



Se sois daquelas pessoas que querem tirar fotos a tudo para registar o momento intensamente, ide de manhãzinha e levai lancheira. Mesmo com o deslumbramento, que não nos deixou fotografar tudo porque estávamos mais preocupados a segurar no queixo que continuava a cair a cada passo, tiramos cerca de 500 fotografias. De novo, não estava preparada para toda aquela... magia. Dizer que foi magnífico não é suficiente e quase não tenho palavras para dizer o que senti. Vimos parte do guarda-roupa dos filmes, perucas, pequenos quadros que recriavam algumas cenas dos filmes (como uma mesa de comes e bebes do baile de Yule, a cozinha d' A Toca onde tudo mexia sozinho como por magia (accionado por uns dispositivos que estavam ao alcance do público), o quartos dos rapazes e a sala comum dos Gryffindor, a sala de poções das masmorras (e aqui, confesso, que quase soltei uma lágrima...), corredores do Ministério da Magia, a casa dos Dudleys e a casa dos Potter. Vi o Espelho dos Invisíveis, passeei na ponte de Hogwarts, andei na velha mota do Sirius Black e usada pelo Hagrid para resgatar o pequeno Harry dos escombros da casa dos pais, e também no pequeno Ford Anglia do mesmíssimo Mr. Weasley! Ai ai, se eles soubessem que eu nem carta de condução tenho!!



 

Apanhamos o Hogwarts Express na Plataforma 9 & 3/4 e fui até Hosmead, onde bebemos cerveja de manteiga (sem álcool). Não gostei muito, mas fiquei com a caneca ^^ Vimos monstros fantásticos que pareciam vivos e mexiam segundo os nossos comandos, passeei pela Diagon Alley e vi, lindo e maravilhoso, o castelo de Hogwarts numa reprodução em miniatura... mas gigante!! Graças ao sistema de luzes, era possível ver a escola em toda a sua extensão, quer de dia, quer de noite. Vimos um milhar de adereços, desenhos, projectos, e tantas mas tantas outras coisas que não poderia descrever aqui com exactidão, sob pena de levar meses a fazê-lo. A última sala era uma reprodução de parte da loja do Mr. Ollivander, em que cada caixinha de varinha continha o nome de uma pessoa que tornou todo aquele mundo mágico possível.






Sim, podem dizer que é uma óptima forma de fazer a franquia render dinheiro extra, mas saber que, caso contrário, todas aquelas coisas magníficas ficariam fechadas num armazém, ao pó e a degradar-se, para ficarem subterradas em entulho e serem descobertas daqui a vinte ou trinta anos... não, seria um crime demasiado grande e difícil de suportar, sobretudo para os fãs que, considerem loucos ou não, sentem aquela história como sua e como fazendo parte da sua vida. Eu cresci a ler os livros da Jo, cresci com os personagens visto termos idade tão próxima e tendo eu começado a saga, precisamente, com 11 anos, altura em que os jovens feiticeiros recebem a sua tão famosa e esperada carta de Hogwarts. A minha anda perdia... a coruja que a transportava devia estar bêbeda... ou então era prima da Errol.




Quando percebi que a tour tinha acabado... quase quis voltar para trás e fazer tudo outra vez, em reverse. Não queria, de todo, sair de lá e voltar ao triste e enfadonho mundo real. A própria loja era um mundo, mas... não tinha cachecóis. Compramos apenas algumas coisas mais pequenas, como pins e emblemas, caso contrário e ficaríamos sem galeões para o resto da vida das férias. Saídos dos estúdios, voltamos a King's Cross a correr, e compramos os tão desejados itens, entre trocas e baldrocas de linhas de metro. Nesse dia, não houve um segundo de hesitação sobre qual carruagem tomar. Há coisas que nos movem. De volta a casa dos nossos amigos, onde ficamos alojados e até à qual ainda tivemos de percorrer uma viagem de regresso de cerca de duas horas entre metros e comboio, e onde chagamos já bem depois das dez horas da noite, só conseguimos comer umas tostas mistas e enroscar-nos nos lençóis. Mas o coração estava cheio ^^ 

Se voltarmos a Londres, meus amigos, não se enganem... voltarei aos estúdios de Harry Potter, quanto mais não seja para ver a Floresta Proibída e todas as atracções que eles vão acrescentando ao seu mundo encantado.

7 comentários:

  1. As fotografias estão brutais! Nós só conhecíamos os estúdios que são nos EUA, mas agora também ficámos com muita, muita vontade de conhecer estes. Não que tenhamos ido aos outros. Só mesmo através de vídeos de youtube. Mas temos planos de lá irmos assim que pudermos.
    Se gostam da temática, tal como nós, saibam que existe a loja da magia que vende quase todos os produtos da saga, em versão oficial e que é relativamente em conta, onde podem comprar os cachecóis por exemplo.
    E já agora convidamo-vos a estarem atentos ao que vamos colocando este mês, e a estarem a ver a nossa festa de aniversário conjunta no dia 25. É sobre esse tema. Vamos trazer o universo de HP cá para casa... :)

    ResponderEliminar
  2. Que brutal!!!! :D Fico muito contente por ti deve ter sido lindo. E, se me permites, vocês fazem um casal mesmo fofo :)

    ResponderEliminar
  3. Elaaaaaa! Eu não tinha visto este post! E nem de propósito, fiz uma sessão fotográfica com o Príncipe com uns outifts de HP :D e claro, com o meu cachecol de Gryffindor, que o Gui ficou indignado pois diz que devia ser Ravenclaw lol mas ele não tem um cachecol por isso muahahahahah

    Beijinhos,
    O meu reino da noite ~ facebook ~ bloglovin

    ResponderEliminar

Sê bem vindo!! Achaste este post tão maravilhoso como a sua autora? Ou tão alucinado da mona? Sente-te à vontade para deixar o teu contributo. Responderei assim que possível. Obrigada pela visita e volta sempre =)